Vitória sofrida em Moscavide mantém liderança invicta

Dizer que nada se consegue sem esforço e que saber sofrer e ser capaz de ultrapassar os obstáculos difíceis faz parte do caminho do sucesso pode ser um lugar comum mas assenta que nem uma luva na descrição do que foi o desempenho da nossa rapaziada no jogo disputado no Sábado em Moscavide perante um adversário que é um candidato assumido à subida à Proliga, prova que disputou na época passada.

Este jogo tinha vários motivos de interesse para as nossas cores, a começar por defrontar um adversário que é candidato à subida no seu pavilhão, conhecido pelas dificuldades resultantes da exiguidade do espaço e do piso escorregadio até ao facto de termos pela frente uma equipa desejosa de regressar às vitórias após ter averbado derrotas tangenciais nos dois jogos anteriores.

O jogo foi disputado de forma intensa, com diversas alternâncias no marcador mas sempre com grande correcção entre os atletas  sem picardias ou provocações a assinalar.

A exiguidade do pavilhão acabou por não ser o handicap que se esperava, pois o jogo acabou por ser quase todo disputado na Tapadinha devido ao mau estado do piso do pavilhão de Moscavide, que fez com que apenas com 5 minutos de jogo decorridos o mesmo fosse interrompido e o tempo restante disputado no nosso pavilhão.

A nossa rapaziada entrou no jogo disposta a cedo assumir a liderança no marcador e fruto desse empenho logrou alcançar uma vantagem de 7 pontos no final do primeiro quarto que terminou com o marcador a assinalar 19-26 para as nossas cores.

Os rapazes de Moscavide não estavam nada dispostos a conceder facilidades e a baixar os braços e logo no segundo quarto reagiram com um parcial de 18-13,que reduziu a nossa vantagem apenas dois pontos, fixando o resultado em 37-39 ao intervalo.

Na segunda parte a toada de equilíbrio não se alterou, com as duas equipas a darem tudo para se superiorizarem no marcador, tendo o parcial pendido para a nossa malta por 14-15, aumentando a diferença para 3 pontos à entrada do que se desejava fosse o último quarto com o marcador a assinalar 51-56 a favor dos snipers da Tapadinha.

Mas os homens de Moscavide não estavam pelos ajustes e no último período deram tudo o que tinham tendo logrado empatar a partida com um parcial de 18-15, fixando o resultado no final do tempo regulamentar num empate a 69 pontos que forçou a um prolongamento de 5 minutos.

No prolongamento a juventude alcantarense entrou logo disposta a assegurar a invencibilidade no campeonato e cedo alcançou uma vantagem que não mais largou, tendo alcançado uma vitória que teve tanto de sofrida como de merecida e que garantiu a manutenção da liderança a par do N.B. Queluz.

Ainda antes de passar à apreciação do desempenho individual dos nossos jovens snipers, não podemos deixar de referir o excelente espírito de grupo e a enorme vontade de vencer de todos, mesmo do Nuno Filipe, que não tendo jogado qualquer segundo não se cansou de incentivar os colegas.

No tocante às performances individuais, desta vez o MVP da partida foi o Rev Maduakor que para além dos 18 pontos anotados contribuiu decisivamente na luta das tabelas com 10 ressaltos ganhos, a secundá-lo na dura luta das tabelas e num plano igualmente excelente esteve a nossa torre de Alcântara Jorge Pires, que para além dos 18 pontos marcados, ganhou 6 ressaltos. O facto de o nosso capitão António Castel-Branco não ter sido um dos melhores marcadores não significa que tenha menos protagonismo no desempenho global da equipa, muito longe disso, pois o que se nota é um maior amadurecimento na forma de jogar e no assumir de um papel de liderança da equipa quando está em campo.

O jovem João Maçãs (ex-Moscavide) esteve também em plano de evidência com 10 pontos anotados e um desempenho muitíssimo bom, tal como o mais recente reforço Rob Teckle (9 pts) e o Henrique Martins com 6 pontos anotados mas sempre com uma entrega notável.

O nosso jovem base João Teixeira, obrigado a sobrecarga devido à lesão do Henrique Nickel, esteve ao seu nível no capítulo das assistências (8) e dos roubos de bola (5), e mesmo tendo marcado apenas 2 pontos, tal equivale a 100% de eficácia.

O Eddy Tavares foi o jogador generoso e importante para a equipa que tem mostrado. Uma palavra ainda para o Vel Mihajlovic, jovem sérvio ainda em fase de adaptação, a quem apenas falta transpor para o jogo a qualidade que evidencia em todos os treinos e também para o bom gigante Brandon Clarke, cujo desempenho é sempre importante no cômputo dos números finais.

Segue-se o jogo com o C.B. Queluz no próximo dia 02/12, pelas 17 horas na Tapadinha, jogo que se antevê de grande dificuldade perante um adversário que segue no 4.º lugar da classificação com apenas uma derrota averbada, pelo que é muito importante a presença de uma grande falange de apoio aos nossos snipers da Tapadinha!

Quanto à ficha do jogo: pelo Atlético alinharam e marcaram – 5 –Rev. Maduakor (18pts); 6 – Rob Teckle (9 pts); 7 – Vel. Mihajlovic (1pt); 8 – Eddy Tavares (2pts); 9 – Henrique Martins (6pts); 10 – João Teixeira (2pts); 12 – João Maçãs (10pts); 13 – António Castel-Branco (cap) (11pts); 15 – Jorge Pires (18pts); 17 -Nuno Filipe ; 23- Brandon Clarke (4pts)