José Maria Torres antevê ida do Atlético ao Dragão.
O Atlético tem um plantel recheado de jogadores experientes e isso reflete-se no desempenho da equipa, atual 3ª classificada na segunda fase da Proliga e com aspirações a subir à Liga. E é fazendo uso dessa mais-valia que a formação de Alcântara conta surpreender o Dragon Force, no Porto, uma partida que está agendada para as 18h30 de domingo.

A equipa tem estado muito bem nesta segunda fase do campeonato da Proliga. Mostra-se muito mais consistente e isso traduz-se em vitórias. Alguma explicação ou mudou alguma coisa para que se tornassem mais regulares?
Sabíamos que chegando a esta fase do campeonato teríamos que melhorar alguns aspetos para assumirmos o objetivo de ficar nos quatro primeiros lugares e assim podermos lutar para a subida à Liga. Penso que um dos principais fatores para o bom desempenho da equipa nesta segunda fase tem sido o maior investimento no plano de jogo, preparando-nos durante a semana para os pontos fortes e fracos de cada adversário e a melhor maneira de os explorarmos. Na primeira fase nunca estivemos na máxima força, pois fomos afetados por muitas lesões e foram raros os jogos e treinos em que contámos com todos os jogadores, tornando-nos bastante inconsistentes. Nesta segunda fase, e com todos disponíveis, sentimo-nos a melhorar de jogo para jogo e o entrosamento começa a ser notório.

Na sua opinião, de que forma o Atlético tem conseguido ser superior aos seus adversarios nos jogos do Grupo A?
Temos sido superiores, pois temos conseguido aliar a grande experiência dos jogadores mais velhos com a irreverência dos mais novos. Temos uma equipa bastante ampla e completa em todos os sectores, sendo que a rotatividade da equipa não nos baixa o nível de jogo, permitindo-nos assim aumentar o ritmo e a intensidade a que jogamos, tanto a nível defensivo como ofensivo. E quando assim é tornamo-nos uma equipa muito difícil de controlar. Em relação ao ano passado, a equipa sofreu algumas alterações e isso refletiu-se no início da época e explica também a tal inconsistência demonstrada na primeira fase. Mas como disse em cima, estamos bastante mais entrosados e assimilar melhor as ideias do treinador e isso tem-se refletido em campo.

Têm consciência de que vencer no Dragão Caixa no próximo fim-de-semana seria um passo importante para garantir um lugar entre os quatro primeiros desta fase. Será que, mais do que nunca, a experiência do grupo de trabalho pode ser importante e fazer a diferença neste tipo de jogos?
Claro que sim! Temos uma equipa muito experiente, com jogadores que já jogaram ao mais alto nivel, e isso é sem dúvida um dos nossos principais trunfos neste campeonato. O Dragon Force está a lutar pelos mesmos objetivos do que nós e por isso temos plena consciência de que uma vitória no Dragão Caixa seria um grande passo para atingirmos um lugar nos quatro primeiros desta fase. Apesar de ser constituída por jogadores novos, o Dragon Force é uma equipa experiente e habituada a jogar com a pressão de ganhar, pelo que esperamos um jogo muito equilibrado e decidido nos pequenos detalhes.

Apontaria o jogo exterior do Dragon Force como sendo o seu ponto mais forte? Ou destacaria mais alguma área do jogo em que seja um adversário complicado?
Durante a semana temos estudado ao pormenor os pontos fortes e fracos do Dragon Force. Obviamente que o seu jogo exterior é conhecido e vamos estar preparados para o contrariar. Mas gostaria também de destacar a grande intensidade que impõem durante os 40 minutos, bem como a organização, tanto defensiva como ofensiva, que apresentam e que cria grandes dificuldades a todas as equipas que defrontam.

Já agora, o duelo de bases entre as duas equipas promete. Quem levar a melhor neste frente a frente reúne de imediato mais condições para poder vencer?
O Dragon Force tem excelentes bases e se conseguirmos condicioná-los obviamente que será um ótimo ponto de partida para vencermos o jogo, mas os duelos das outras posições (extremos e postes) terão igual importância e influência no resultado final, pelo que a concentração de todos é fundamental para sairmos do Dragão Caixa com uma vitória. Antevê-se um grande jogo!

Texto: Carlos Seixas (FPB)