No tempo em que o futebol lusitano era dominado pelas potências de Lisboa (Benfica, Sporting e Belenenses), além do FC Porto, um pequeno clube da capital desafiou tudo e todos, sagrando-se Campeão de Portugal. Falamos do Carcavelinhos Football Club, agremiação desportiva que fora fundada a 14 de Fevereiro de 1912 e que, na temporada de 1927/28, venceu o Campeonato de Portugal, prova antecessora da Taça de Portugal e que era, à época, a mais importante competição lusa, que definia o Campeão do país.

Não foi o primeiro clube que quebrou a hegemonia dos chamados “grandes” do futebol português, já que Marítimo e Olhanense também haviam vencido o Campeonato de Portugal em anos anteriores, mas foi o mais modesto dos clubes que venceram a competição.

O Carcavelinhos era um clube que tinha a sua base de adeptos assente na comunidade de operários. Fruto disso, o clube pouca relevância desenvolveu junto da Associação de Futebol de Lisboa, o que não era sinónimo de presa fácil para os seus adversários.

Em 1928 as Associações de porto e Lisboa inscreveram seis equipas no Campeonato de Portugal. Das seis equipas de Lisboa uma delas era o Carcavelinhos, além de Sporting, Benfica, União Lisboa (que, em 1942 se iria fundir com o Carcavelinhos e dar origem ao Atlético Clube de Portugal), Casa Pia, Império e Belenenses.

Parecia, como era habitual, que o título seria disputado entre as equipas do costume. Porém, desta vez, não seria assim.

O Carcavelinhos estrou-se na competição a 6 de Maio de 1928, contra o Beira-Mar, Campeão Distrital de Aveiro, e venceu por esclarecedores 3-0. Nos quartos-de-final o Carcavelinhos goleou o Salgueiros por 8-1, num encontro rodeado de expectativa, já que o Salgueiros havia eliminado o FC Porto nos quartos-de-final. Foi o bálsamo que a equipa alcantarense precisava. Depois de se desembaraçar do Benfica na meia-final, vitória por 3-0, para a final estava guardado o poderoso Sporting.

A final ficou marcada para o dia 30 de Julho de 1928, no Campo da Palhavã. O Sporting entrou em campo decidido a ser o novo campeão de Portugal. Uma finalíssima era algo impensável para os Leões, já que nos jogos do Campeonato de Lisboa os Verde-e-brancos tinham vencido o Carcavelinhos por duas vezes.

O Sporting teve as melhores oportunidades da primeira parte, num ritmo alucinante que obrigou o Carcavelinhos, e o seu guardião, Gabriel Santos, a aplicar-se. Mas tal esforço teve a sua factura. Por volta dos 20 minutos o Carcavelinhos faz o 1-0, por intermédio de Miguel Rodrigues.

A segunda parte começa com o Sporting novamente ao ataque e o golo de Abrantes Mendes que empatava a partida fazia os adeptos presentes na bancada suspeitar que, mais tarde ou mais cedo, o Sporting haveria de vencer a partida. Mas não foi isso que aconteceu. O Carcavelinhos aguentou a pressão leonina e o jogo ficou mais viril. Os jogadores do Sporting aumentaram os índices de agressividade e os bravos do Carcavelinhos não se deixaram ficar. Houve troca de golpes e o jogo esteve suspenso.

Foi aí que o Sporting perdeu a final. No recomeço o Carcavelinhos marcou. Ainda faria o terceiro e falharia um penalti. No final do jogo, o Carcavelinhos Football Club era o novo campeão de Portugal.