Vitória do contra-ataque.

À entrada para este jogo os Juvenis B do Atlético estavam no primeiro lugar. A equipa com menos derrotas no campeonato, que melhor futebol praticava, mesmo com todas as vicissitudes que se abateram sobre este grupo de jogadores. O primeiro lugar era seu, por direito e mérito. Havia a vontade de fazer história. De ser a primeira equipa B a conquistar o campeonato. Um grupo de jogadores que no ano anterior havia descido de Divisão e havia sido criticado por tudo e todos esteve, na época seguinte, quase a tocar o céu.

Os Deuses do Futebol não quiseram que o Futebol arte vencesse o Futebol do pontapé para frente. Injusto, dirão alguns. É parte do jogo, dirão outros. A verdade é que em Algés, o Atlético acampou no meio-campo do seu adversário, trocou a bola – nem sempre bem, é certo – mas foi completamente inofensivo. O Algés, que saiu quase que exclusivamente em pontapés longos à procura da velocidade dos seus avançados, foi eficaz, aproveitou os erros dos alcantarenses e foi o antagonista dos nossos miúdos.

Aos 16 minutos chega o primeiro golo do jogo, com um avançado do Algés a furar a defesa e a ficar isolado perante Rui Nunes, que, desamparado, não conseguiu evitar o golo. Dois minutos depois, falha de comunicação entre Rui Nunes e Maxi Ferras, com a bola a sobrar para um jogador do Algés que eleva a contagem. E em cima do intervalo, novo golo da equipa da casa a afundar a nau alcantarense.

O segundo tempo traz um Atlético ‘mandão’, a acampar no meio-campo adversário, a trocar a bola, mas a não criar perigo. O Algés, por sua vez, abdicava de ter a bola, e quando a tinha era para a enviar para bem longe da sua área, à procura dos seus avançados. A única ocasião flagrante de golo do Atlético viria aos 71 minutos, num remate cruzado de Gogas a que Migas Jr. chegou ligeiramente atrasado ao segundo poste. O Algés, aos 79′ iria fazer o quarto golo da partida, e já nos descontos faria o quinto.

O final do jogo trouxe uma equipa inconsolável. De lágrimas nos olhos, os jovens alcantarenses não queriam acreditar que tinham perdido a oportunidade de fazer história. Mas, quem viu esta equipa jogar, muito dificilmente se irá esquecer do futebol rendilhado e perfumado que exibiram durante toda a época. Do jogo de posse a partir do guarda-redes. Da evolução técnica, táctica e física. O Atlético só lhes pode agradecer.

Obrigado Rui Nunes, Ricardo Carolino, João Pedro, Augustus, Meireles, Maxi Ferras, Edison, Jokinha, Gonçalo Salgado, Miguel Sobral, Gogas, Emanuel Jesus, Miguel Antunes, João Pinto, João Silva, Estevão, João Carlos, Miguel Gomes, Diogo Picoto, Migas Jr., Jorge Pinhal e Leandro.

O futuro é vosso.


30ª Jornada, 2ª Divisão AF Lisboa – Série 4, Juvenis, 2014/15.
Jogo no Estádio Dr. Simões Alves, em Algés.
ALGÉS 5-0 ATLÉTICO
Ao intervalo: 3-0

Atlético: Rui Nunes; Maxi Ferras (João Carlos, 40′), João Pedro, Jokinha (Gonçalo Salgado, 40′) e Edison (Diogo Picoto, 64′); Emanuel Jesus (Miguel Gomes, 58′), Estevão e João Silva (Gogas, 54′); Migas Jr. (C), Jorge Pinhal e LEandro.
Suplentes: Paulo Alves, Gonçalo Salgado, Gogas, João Carlos, Miguel Gomes e Diogo Picoto.
Treinador: André Ferreira e Blessing Lumueno.