Num jogo de sentido único, os nossos Juvenis A não deram hipóteses aos jovens alentajanos. O primeiro sinal de perigo veio logo aos 10 minutos, na sequência de um canto cobrado por Filipe Narciso, Bernardo Camarão, no coração da área, atira ao lado. Estava dado o mote do jogo, o Atlético atacava, o Portalegrense fazia os possíveis para fechar os caminhos para a sua baliza.

Aos 13 minutos surge o primeiro golo da equipa comandada por Luís Pinheiro. Filipe Narciso isola-se e toca a bola por cima do guardião alentejano, e depois conduz tranquilamente para o fundo das redes. O Atlético não se conformou com apenas um golo e foi à procura de mais. 3 minutos depois, Francisco Figueiredo aparece isolado em frente ao guarda-redes adversário mas não consegue bater o guardião alentejano, que defende para canto. Na sequência do canto, Filipe Narciso coloca a bola ao segundo poste, mas Duarte Coelho não consegue fazer a emenda e atira ao lado.

Aos 20 é a vez de Marinho proporcionar uma boa defesa ao guarda-redes do Portalegrense, num remate de ressaca à entrada da área. Dois minutos depois chega o 2-0. Marinho coloca a bola na área, Duarte Coelho domina com o peito e atira para o fundo das redes. Quatro minutos depois, novamente Marinho a criar perigo, mas o guarda-redes alentejano foi rápido a sair dos postes e a fechar o espaço ao médio alcantarense.

A 12 minutos do intervalo chega o terceiro golo do Atlético. Cruzamento em esforço de André Silva, mau alívio da defesa alentejana e Francisco Figueiredo não desperdiça a oferenda e faz o 3-0. Até ao intervalo, apenas mais uma situação de perigo, com Duarte Coelho a obrigar o guardião adversário a mostrar serviço. Refira-se, também, que foi neste período que apareceu um dos dois remates da equipa de Portalegre em todo o jogo, mas sem perigo para a baliza alcantarense.

Ao intervalo Luís Pinheiro tira Marinho por precaução (o irrequieto médio alcantarense chocou de cabeça com um adversário e sentiu-se mal, mas está fora de perigo) e coloca Miguel Rosa. O Atlético passa a jogar com uma linha de três defesas e volta a carregar contra a defensiva contrária. Aos 46′ Filipe Narciso atira à barra, e após um período de domínio claro do jogo mas sem oportunidades, o Atlético ganha uma grande penalidade. Adam remata e um defesa alentejano corta a bola com a mão. Chamado à conversão, Bernardo Camarão não perdoa e faz o 4-0, estavam decorridos 61 minutos de jogo.

Nos últimos 7 minutos de jogo, mais 3 golos. Primeiro é Filipe Narciso, que aos 73 minutos que na sequência de uma bola parada aparece isolado em frente ao guarda-redes e faz, de cabeça, o seu segundo golo da tarde. Seis minutos depois, canto de Miguel Rosa, a defesa do Portalegrense alivia para a entrada da área onde aparece Duarte Coelho a rematar rasteiro. A bola tabela num defesa e isola Filipe Narciso, que na cara do guardião alentejano não perdoa e faz o 6-0. Já em tempo de descontos, a defesa do Portalegrense anda aos papéis e um mau atraso coloca a bola em Filipe Narciso, que com grande sentido de oportunidade só tem de empurrar para a baliza deserta.


Foi um jogo em que fomos competentes e encaramos com a maior seriedade possível, muito devido à grande entrega dos meus jogadores. Fizemos mais de 30 remates em todo o jogo, dos quais 7 resultaram em golo, o que nos dá um indicador do que precisamos de melhorar.
Quem criticou a equipa aquando do jogo em Alcochete, hoje deve felicita-la, porque se aquele não foi um resultado prestigioso para o clube, este é! Não nos conformamos somente com a vitória e fomos sempre à procura de mais, não podemos ter 2 pesos e 2 medidas. Aproxima-se, provavelmente, o jogo mais importante para as nossas aspirações e esta vitória só nos irá motivar para trabalhar mais e conseguir trazer um bom resultado de Rio Maior.

– Luís Pinheiro, Treinador do Atlético.


11ª jornada da 1ª Divisão Nacional de Juniores B – 2014/15
Jogo no Campo Nº 2 do Estádio da Tapadinha, em Lisboa.
ATLÉTICO 7-0 PORTALEGRENSE
Ao intervalo: 3-0

Marcadores: Filipe Narciso (13′,73′, 79′ e 80’+1 ), Duarte Coelho (22′), Francisco Figueiredo (28′) e Bernardo Camarão (61′ gp).