Recuemos pouco mais de 70 anos no tempo, com a música de António Mourão como banda sonora, e recuperemos a estreia do Atlético em competições oficiais.

Falamos do ano de 1942, a Europa atravessa um dos períodos mais negros da sua história – a 2ª Grande Guerra -, porém, em Portugal, reinava a paz, fruto da neutralidade que o Governo de António Salazar tinha conseguido. Em Lisboa, mais precisamente em Alcântara, dois dos clubes mais populares da zona ocidental da cidade tinham desaparecido, Carcavelinhos e União Lisboa, para dar origem a um novo clube. Nascia assim, a 18 de Setembro, o Atlético Clube de Portugal.

À época os Campeonatos Regionais serviam para decidir quem participaria nos Campeonatos Nacionais. Por isso, o Campeonato de Lisboa revestia-se de grande importância.

Assim, o primeiro encontro disputado pelo Atlético, em moldes oficiais, foi a contar para a 1ª Jornada do Campeonato de Lisboa, no Campo da Tapadinha (o estádio só seria construído em 1945), ainda pelado e com bancadas em madeira.

Quis o destino que o Atlético fosse apadrinhado por uma das potências do futebol nacional, o Sport Lisboa e Benfica.

Rosa, Baptista, Mendes, Galinho, Gregório dos Santos, Francisco Lopes, Mário Coelho, José Lopes, Vieira, Morais e Marques. Foi este o primeiro ‘onze’ oficial do Atlético, num jogo disputado a 11 de Outubro de 1942.

Sete jogadores vinham do Carcavelinhos – Rosa, Baptista, Galinho, Francisco Lopes, José Lopes, Vieira e Marques. Os restantes – Mendes, Gregório dos Santos, Mário Coelho e Morais – eram jogadores do União Lisboa. Nos anos 40 ainda não existiam tácticas defensivas, na Europa impera o WM, mas em Portugal a «Pirâmide» ainda reinava. O Atlético jogou com dois defesas, três médios e cinco avançados.

O resultado foi desfavorável ao Atlético, já que o Benfica não teve contemplações e goleou o novel clube por cinco bolas a uma. O tento alcantarense foi apontado por Mário Coelho. Foi, portanto, um antigo jogador do União Lisboa a marcar o primeiro tento do Atlético em competições oficiais. Mário Coelho que mais tarde se dedicou, com alguma notoriedade, ao pugilismo.

Desta nova equipa destacamos Carlos Baptista, o saudoso “Back da Morte, que é uma lenda do Atlético. Mendes, que era, também um excelente basquetebolista, modalidade em que o União Lisboa deu cartas. Gregório dos Santos, um dos melhores médios-centro de Portugal, que foi campeão nacional no Sporting. Francisco Lopes, bi-campeão nacional no Sporting, que mais tarde representou o Carcavelinhos.

Foi com este misto de jogadores de dois clubes que, com cerca de quinze dias juntos, o Atlético se estreou oficialmente. Não começou da melhor maneira, é verdade, mas melhores tempos estariam por vir para o clube alcantarense.


1ª Jornada do Campeonato de Lisboa, 1942/43
Jogo no Campo da Tapadinha, em Lisboa.
ATLÉTICO 1-5 BENFICA
Ao intervalo: 0-1
Marcadores: Mário Coelho (82’); Rogério Pipi (38’), Mário Galvão (46’), Alfredo Valadas (60’), Julinho (77’ e 78’).

Atlético: Rosa; Baptista e Mendes; Galinho, Gregório dos Santos e Francisco Lopes; Mário Coelho, José Lopes, Vieira, Morais e Marques.
Benfica: António Martins; Mário Galvão e Gaspar Pinto; César Ferreira, Francisco Albino e Francisco Ferreira; Rogério Pipi, Joaquim Teixeira, Julinho, Dário e Alfredo Valadas.