Tem 17 anos. Está no Atlético desde os 13. Defesa-central, que pode jogar a lateral-direito, Paulo Nunes faz parte da equipa de Juvenis A que compete no Campeonato Nacional da categoria. Apesar de não estar inscrito, nunca desistiu e tem treinado desde o início da época com o plantel. Para ele o importante é estar com aqueles de quem gosta, de praticar desporto e estar no clube que adora.

O que fazes da vida além do futebol?
Estudo. Gosto de correr nos tempos livres, além de fazer natação e andar de bicicleta. Gosto de estar com os amigos e a família, mesmo aquela que está mais longe. Digamos que paro pouco em casa.

Como vieste parar ao Atlético?
Andava nas escolinhas da Geração Benfica, até que atingi a idade limite. Tive que procurar um clube Federado para prosseguir a minha vida futebolística. O meu cunhado falou-me do Atlético, informei-me, procurei os treinadores para saber se podia treinar, e assim foi.

O que significa para ti o Atlético?
É aquele clube que, mesmo sabendo que não vou jogar, me dá gosto ver os jogos. Este ano apenas tenho acompanhado os meus colegas, a minha equipa. Nos anos anteriores gostava de acompanhar os seniores, ser apanha-bolas. É um clube que, se fosse outro clube, nunca teria o mesmo amor que tenho pelo Atlético. Gosto de cá estar, aprender mais sobre futebol. É o único clube com que eu conseguiria ter esta proximidade. Fiz muito boas amizades aqui, amigos que espero guardar por muito tempo.

Um momento marcante no Atlético?
Foi no inicio desta temporada. Fiquei muito triste, porque sabia que não ia jogar. Mas ao mesmo tempo fiquei contente com a proposta que o ‘Mister’ me fez. Deixou-me continuar com a equipa, de treinar, estar com os meus amigos, sabia que eu era um rapaz calmo, e por isso acabei por poder ficar com a equipa. Chorei muito, podia ter ido para outro clube, mas preferi ficar no Atlético. Muitos me dizem que seria melhor ter saído para jogar, que evoluiria mais, mas também ao estar apenas a treinar com esta equipa acho que estou a evoluir. Tem os melhores jogadores com quem treinei até hoje.

Planos para o futuro?
Continuar com uma vida desportiva, sendo federado ou não, o que me interessa é praticar desporto. Gostava de ser jornalista. O meu pensamento, para o ano que vem, será investir mais tempo nos estudos. Preparar-me melhor para a vida.