A Direcção do Atlético Clube de Portugal repudia liminarmente as declarações de alguns associados, na sequência da queda de uma grelha de um poste de iluminação no Campo nº 2 do Estádio da Tapadinha, notícia já veiculada em imprensa nacional.

Não negando o que é factual, importa desfazer a mentira e calúnia com que nos vemos confrontados. Em primeiro lugar, confirma-se, com naturalidade, que a questão se verificou devido a meras condições climatérias que, como qualquer pessoa poderá verificar, são agrestes no alto do Campo nº 2, onde o vento atinge, mesmo em dias normais, velocidades superiores a outros locais.

Em segundo lugar, colocar o bom nome dos profissionais deste clube associado a uma tentativa de informação injuriosa, atenta contra os princípios em que o nosso Clube se alicerça. Carlos Pereira não se encontrava, de modo algum, à altura, a treinar nenhum dos atletas da formação. Desta forma, a única possibilidade de a grelha atingir o nosso técnico seria viajar até fora do recinto do Estádio da Tapadinha, ou quiçá até ao lar do mesmo.

Lamentamos ainda que um acidente possa servir de catalisador à calúnia e à mentira, e que tudo o que se sucede nas instalações do Atlético Clube de Portugal – até uma mera casualidade do ambiente – possa servir como motivação para a maledicência e para colocar em causa o bom-nome dos órgãos sociais, que devotam as suas forças em defesa da Instituição, e pretendem o melhor para a mesma.

Lisboa, 27 de Março de 2015

A Direcção.