Um mês decorrido da nossa eleição, impõe-se fazer um primeiro balanço do que foi a actividade desenvolvida, projectando o futuro próximo do Atlético Clube de Portugal.

A nossa eleição, como é do conhecimento geral, surgiu num dos momentos mais difíceis, conturbados e complexos da vida do Clube. Sabíamos, por isso, para o que vínhamos e jamais nos justificaremos com os erros do passado.

Por isso mesmo, desde logo impusemos um limite à nossa actuação: todos os compromissos assumidos no passado serão cumpridos, mas apenas após análise detalhada do processo de contratação, com comprovativo da realização das despesas.

Estipulámos, assim, um desafio: efectuar um levantamento minucioso das obrigações do Atlético – cumpridas, por e a cumprir -, para que possamos assumir pagamentos, dentro do rigoroso plano financeiro a que estamos vinculados.

No âmbito desse plano financeiro, tomámos duas decisões que serão decisivas para o futuro do Atlético: racionalizámos meios, através do redimensionamento do quadro de pessoal, quer ao nível do Clube, quer ao nível do Bingo, e adequámos custos, projectando e orçamentando todas, sublinhamos todas, as despesas, por via do planeamento estratégico a curto, médio e longo prazo.

Com efeito, por entendermos ser necessário contratar e responsabilizar, apostando na formação, estabelecemos um protocolo estratégico para a gestão do futebol juvenil, com excepção da equipa de juniores, que nos garante quatro aspectos fundamentais daquilo que queremos para o futuro do Atlético: respeito pela história do clube e seu conhecimento por parte dos atletas, eficiência e eficácia na gestão dos recursos e meios, capacidade competitiva de todas as equipas que nos representam e sustentabilidade financeira da Escola Germano de Figueiredo.

Considerando a localização privilegiada do nosso Complexo Desportivo, estamos, também, a ultimar uma parceira estratégica inovadora de marketing e publicidade, podendo, desde já, anunciar que em breve a Tapadinha será aproveitada ao máximo, projectando o Clube e as marcas que apostarem no nosso futuro. Esta é a hora do mundo empresarial encontrar no Atlético uma marca de sucesso!

Apostamos nas modalidades, desde a formação às equipas seniores, adoptando uma política de rigor e investimento – sabemos onde e como queremos chegar. A memória do nosso Clube passa pelo seu ecletismo e não a defraudaremos: a equipa directiva que se encarregou deste departamento nuclear do Atlético está em contacto directo com os respectivos departamentos e tudo fará para assegurar a viabilidade das modalidades existentes.

Por último, mas não menos importante, no futebol apostamos, desde já, em duas equipas geridas exclusivamente pelo clube: os juniores e os seniores, num espírito de inter-relação, progressão e formação contínua, que nos garantem a competitividade e o espírito de compromisso que consideramos essencial a todas as equipas do Atlético Clube de Portugal.

Não fugimos à realidade que herdámos: os protocolos celebrados entre o clube e a SAD e entre o Clube e a sócia maioritária da SAD foram denunciados pela anterior Direcção e impõem severas barreiras à ambição competitiva imediata. Nessa esteira, invocámos junto da SAD a necessidade de dialogarmos, tendo em vista uma solução que, de forma definitiva, resolva o litígio em aberto.

Acreditamos nesse diálogo e apresentaremos uma solução equilibrada para todos os intervenientes. Não descartando qualquer situação, encontramo-nos, em conjunto com as entidades supervisoras e de acordo com os pareceres que recolhemos, a estudar todas as opções que nos permitam resolver, definitivamente, esta questão.

Os sócios do Atlético Clube de Portugal conhecem-nos e sabem que não trilhamos caminhos que não honrem a dignidade, o brio, a honra e o espírito dos nossos Fundadores. É por isso que, sem mais qualquer outro juízo, consideramos essencial restabelecer a credibilidade do Clube.  Neste sentido oportunamente, para cada área, os associados irão ser informados o mais detalhadamente sobre o trabalho já realizado e o projectado.
Essa não é só a nossa ambição: é a nossa obrigação!

Um Clube que dignifique o seu passado, que honre a sua História e que cumpra as suas obrigações é o dever ético do nosso compromisso. Não viraremos a cara a luta e comprometemo-nos a devolver a Tapadinha às tardes de outrora.

Não podemos deixar passar esta oportunidade sem lamentar o período de luto que Portugal viveu, solidarizando-nos com a tragédia de todos os que foram vítimas dos incêndios que varreram o nosso país ao longos dos últimos dias. Oportunamente fizemos chegar as nossas condolências às entidades oficiais.

Informamos, também e do mesmo passo, que o Atlético colocou ao dispor, no âmbito da ajuda humanitária, as suas instalações, bem assim como todas as suas equipas para, no âmbito de provas desportivas de solidariedade, angariar verbas para auxílio e recuperação da área devastada.

Viva o Atlético Clube de Portugal!

 

Lisboa, 22 de Junho de 2017

A Direcção do Atlético Clube de Portugal