Caríssimos sócios e simpatizantes do Atlético,

Começo por agradecer a vossa presença, que muito nos apraz e nos deixa satisfeitos e esperançados.

O Atlético Clube de Portugal tem uma enorme ligação histórica e popular a Lisboa, é um dos clubes mais emblemáticos do panorama desportivo português e sempre deu um importante contributo em prol do desporto em Portugal e da formação de milhares de jovens da zona ocidental de Lisboa e de uma certa forma, da vida do Bairro de Alcântara.

O nosso Atlético vai a caminho dos 75 anos de existência, uma comemoração que vai ter lugar ainda este ano e que desejamos que seja um marco na vida do Clube.

Nos últimos anos, o nosso Atlético tem vivido uma crónica e preocupante incapacidade de se adaptar às exigências de uma gestão moderna, transparente e participada.

Como sócios e adeptos, temos vindo a acompanhar a realidade do clube ao longo dos últimos anos, vibramos com os sucessos e sofremos com os reveses, rimos com as alegrias e choramos com as tristezas.

Somos críticos, mas também reconhecemos o que vemos ser bem feito.

Por isso mesmo, pretendemos prosseguir com tudo o que engrandece o nosso Clube e procuraremos inverter e alterar o que correu menos bem.

Será sempre nessa perspetiva que nos propomos trabalhar!

A modernização do clube é assim uma das preocupações centrais do nosso projeto.

Desta forma vamos criar condições e recursos para dar resposta às múltiplas solicitações que uma coletividade encontra no século XXI e que, naturalmente, difere e evolui daquilo que foram os princípios fundadores de qualquer associação.

Os 3 projetos chave para o nosso triénio são:

  • Tornar o Clube eficiente financeiramente;

  • Apostar na formação em todas as modalidades;

  • Modernizar o complexo da Tapadinha;

Mas para atingir o segundo e terceiro será sempre necessário resolver a grave situação económico-financeira do clube.

Algo que nos fará tomar decisões difíceis, mas necessárias para ultrapassarmos esta situação.

Baseados nesta visão estratégica queremos realizar uma profunda reorganização no clube, que honre o passado e mereça o futuro.

Acreditamos que assim traremos de volta ao principal panorama desportivo nacional a mística Alcantarense.

Existem quatro principais razões que nos motivam e são as bases para um Atlético diferente:

  • Compromisso

  • Credibilidade

  • Ambição

  • Brio

Tornar o Atlético sustentável é o meu e nosso Compromisso.

Ao perceber o estado critico a que o Atlético estava a chegar decidimos agir.

É urgente fazermos alguma coisa para tentar salvar o clube;

só uma política de união nos pode levar para um caminho de mudança e impedir que o atlético feche as portas.

É imperioso mudar e fazer diferente para que tal não aconteça.

Sendo um clube histórico, não pode ser histórico ao nível de politicas e medidas de gestão,

e é isso que precisamos mudar se quisermos um clube voltado para o futuro.

Podemos fazer mais e melhor com a ajuda de todos os sócios e simpatizantes, mas temos que agir dentro das limitações atuais da freguesia, da cidade e do país.

Outro dos pontos fortes do nosso projeto é a recuperação da Credibilidade que sentimos estar em falta neste momento.

O Atlético precisa de se tornar credível para os sócios e para a sociedade.

Não podemos esconder que um dos problemas do clube assenta, na total ausência de relacionamento com a SAD que gere o futebol.

A grande maioria das ações que atacam a credibilidade do Atlético Clube de Portugal são tomadas pela SAD e não pelo clube a que presido a partir deste momento.

Essa será, portanto, uma das nossas preocupações e prioridades:

a tentativa de resolução deste assunto para que o Atlético possa ter um protejo desportivo sério ao nível do futebol sénior.

Como sabemos, este constitui o maior catalisador de adeptos do nosso clube.

Uma palavra que vai sempre estar presente é ambição – A terceira palavra chave para os próximos 3 anos.

Ambição de fazer mais e melhor.

Mais e melhor pelos sócios do Atlético e pelos atletas, de todas as modalidades e escalões, que vestem orgulhosamente a nossa camisola a cada fim de semana.

Finalmente, brio.

O que for para ser feito terá que ser necessariamente bem feito e mais importante: tem que ser feito com orgulho e para orgulho do Atlético.

Sei que é um cliché, mas aqueles que hoje tomam posse estarão aqui para servir o clube e não para se servir do clube.

Aqui estaremos, sempre ao dispor de todos aqueles que vierem por bem.

Uma palavra para os nossos associados, os presentes e os ausentes:

Por consideramos que os sócios são o maior activo do Atlético Clube de Portugal, pretendemos criar as condições indispensáveis para que todos os associados se sintam mais confortáveis nas instalações do clube.

Para além disso, queremos também criar os mecanismos para melhorar e intensificar o relacionamento entre o Clube e os sócios, designadamente para uma maior e melhor comunicação e circulação de informação.

O Atlético Clube de Portugal é um clube dos Sócios e não pode viver de costas voltadas para eles, porque sem a massa associativa o clube não existe, aliás, nem tem razão de existir.

Mais, para ultrapassar a atual situação de crise que o clube vive é fundamental que os associados sejam envolvidos na vida do clube, e que lhes seja dada a importância que realmente têm.

Sejamos claros! O Atlético nesta fase difícil precisa da ajuda de todos, porque, utilizando um provérbio: “sozinhos vamos mais rápido, juntos vamos mais longe”, precisamos que os sócios, adeptos e simpatizantes voltem a aparecer!

Podemos entender que estejam de costas voltadas para o clube, que tenham tentado e desistido, mas nesta fase, para levar a nau a bom porto, para fazer voltar a vibrar a Tapadinha, precisamos de todos e cada um dos verdadeiros Atléticos.

Distintos convidados, Minhas senhoras e meus senhores,

Podem achar curiosa a presença destes troféus nesta cerimónia, mas a verdade é que eles estão aqui por uma razão.

Estes mesmos troféus estão também presentes em todas as reuniões de direção ou órgãos sociais.

Porque nesta fase difícil do nosso Atlético, é preciso relembrar não só aos órgãos sociais ou aos adeptos, mas também à freguesia, à cidade, ao país e a todos vós que no ADN do Atlético existe não só um campeão de Portugal, mas também vários títulos de campeão nacional e taças de Portugal em várias modalidades e escalões.

E por isso, a nós órgãos sociais eleitos, sócios, funcionários e atletas deve ser considerado uma honra representar um clube com esta história e dimensão.

Estou certo que aqueles que hoje comigo tomam posse estarão à altura do desafio e tudo farão, para deixar o clube melhor a cada dia que passa.

A História tratará de dar o devido mérito a todos os que mantiveram este Clube a funcionar, com maiores ou menores dificuldades, com decisões mais ou menos acertadas, mas sempre com a certeza de uma dedicação em prol do Clube que não será esquecida.

O meu agradecimento especial por isso aos órgãos sociais cessantes e anteriores dirigentes:

Armando Hipólito, Sérgio Abrantes Mendes e José Almeida Antunes.

Gostaria de terminar esta intervenção pedindo-vos um forte aplauso para o nosso Atlético, que é a razão para estarmos todos aqui neste final de tarde.

Nós somos o Atlético Clube de Portugal!

VIVA O ATLÉTICO!