O Atlético Clube de Portugal tomou conhecimento que o ex-Presidente Almeida Antunes, no programa Bar Sport Tv, se permitiu tecer comentários insidiosos sobre a actual Direcção, lançando calúnias sobre as relações entre o Atlético Clube de Portugal e a Junta de Freguesia de Alcântara.

Nesse sentido, cabe esclarecer o seguinte:

1) A Junta de Freguesia de Alcântara e o Atlético Clube de Portugal têm, de facto, trabalhado no sentido de reabilitar o Clube, elevando-o aos patamares de outrora;

2) Embora não estejamos sempre de acordo, as nossas relações estão assentes em duas premissas essenciais: o rigoroso cumprimento dos protocolos e o enaltecimento do Atlético como representante máximo da freguesia e referência desportiva do centro da cidade de Lisboa;

3) Lamentavelmente, a responsabilidade pela gestão catastrófica do Clube no passado recente (desportiva e financeiramente) tem um rosto e todos os interessados pelo Atlético sabem-no bem: a situação clamorosa da gestão danosa do Bingo ou a constituição duvidosa da SAD são apenas exemplos elucidativos das decisões que levaram o Atlético a uma situação de falência técnica. Esta só não produziu efeitos porque houve coragem de enfrentar os problemas de frente e de os tentar resolver com elevação e seriedade.

 

Mesmo que, ultimamente, tenham surgido alguns episódios lamentáveis de boatos mesquinhos que tentam provocar a discórdia e outras tentativas de boicote à gestão feita neste mandato, nunca foi intenção desta Direcção apontar o dedo individualmente a quem quer que seja ou procurar bodes expiatórios, mas sim contaminar o Clube com um discurso positivo de esperança, de união e de progresso.

Todavia, perante a gravidade desta situação, informamos os nossos Sócios que no dia de hoje demos instruções aos nossos Advogados para avançarem com as medidas legais tendentes à salvaguarda do Clube, bem como à reparação da sua honra.

Felizmente, o Atlético Clube de Portugal já não tem donos a não ser os seus associados. Desta forma, ninguém – nem mesmo o Sr. Almeida Antunes – se pode sentar num pedestal que não merece, muito menos quando se é o principal rosto de uma gestão danosa sem fim!

A Direcção do Atlético Clube de Portugal e os seus Órgãos Sociais.