XIII | A estreia internacional do Carcavelinhos contra o Rapid de Praga

A estrondosa vitória que o Carcavelinhos obteve sobre o Benfica, na segunda jornada do campeonato lisboeta da época de 1925/26, conferiu aos alcantarenses extraordinária reputação. Não causou por isso espanto que a jornada n.º 3 fosse aguardada com visível curiosidade. O Carcavelinhos defrontava o seu vizinho Belenenses e fácil será calcular o entusiasmo que a […]

Continuar a ler

XII | O incómodo que foi vencer o Benfica por 6-2

Consumado o regresso do Carcavelinhos à 1ª Divisão, vale a pena recuarmos no tempo para recordarmos que em 1921/22 se instituíram duas divisões e a Promoção. Quais os clubes que se escolheram para a 1ª Divisão? O Benfica, o Império, o Internacional e o Sporting, os de mais antiga fundação, critério cómodo mas incoerente, pois […]

Continuar a ler

XI | Manuel Rodrigues – O primeiro «internacional» do Carcavelinhos

Um dos acontecimentos desportivos que mais prendeu a atenção dos desportistas de há 82 anos, foi, incontestavelmente, a realização, em Lisboa, do IV Portugal-Espanha, em futebol. Nos três primeiros encontros os portugueses não tinham sido capazes de derrotar os espanhóis. Por isso mesmo, o quarto desafio foi encarado com enorme confiança, rodeando-se de cuidados especiais […]

Continuar a ler

X | Finalmente o regresso à 1.ª Divisão

Frustrados os intentos dos rapazes de Alcântara na época de 1923/24, a seguinte – 1924/25 – proporcionou-lhes a conquista do Campeonato de Lisboa absoluto em segundas categorias e o título de campeões da 2.ª Divisão, através de prova brilhantíssima, pois apenas cederam um empate frente ao Chelas, no decorrer da segunda volta. Anotemos os resultados: […]

Continuar a ler

IX | Finalmente, o Campo da Tapadinha

O desafio seguinte, último do campeonato, decisivo para atribuição do título e que garantia o acesso à 1.ª Divisão, opunha o Carcavelinhos ao Vitória de Setúbal, este a um escasso ponto do «leader». Os alcantarenses necessitavam apenas do empate para se sagrarem campeões, mas não foram felizes, não obstante a magnífica primeira parte, e perderam […]

Continuar a ler

VIII | O União abandonou o campo, mas voltou a pedido do público

Recordemos o Campeonato de Lisboa da 2.ª Divisão da época de 1923/24, o qual, podemos adiantar desde já, foi renhidamente disputado, com luta indecisa até à última jornada. A penúltima jornada do campeonato englobava o desafio Carcavelinhos-União Lisboa, vizinhos e rivais. A posição das duas equipas na tabela era algo diferente. Os de Alcântara, para […]

Continuar a ler

Germano de Figueiredo

Germano Luís de Figueiredo (23 de Dezembro de 1932 – 14 de Julho de 2004), foi um antigo futebolista português, que jogava como defesa-central, que representou o Atlético de 1947 a 1960. Nome: Germano Luís de Figueiredo Data de Nascimento: 23 de Dezembro de 1932 Local de Nascimento: Alcântara, Lisboa Nacionalidade: Português Internacionalizações: AA 24 (0 golos)   Posição: Defesa-Central […]

Continuar a ler

VII | O Carcavelinhos escreveu direito por linhas tortas

O título deste VII capítulo pode parecer estranho, mas toda a história descrita nele é, também ela, estranha. Concluído o Campeonato de Lisboa da época de 1920/21, o jornal «Os Sports» organizou, com o patrocínio da Associação de Futebol de Lisboa e dos clubes nela filiados, entre equipas de primeiras categorias, a disputa da taça […]

Continuar a ler

VI | A estreia oficial do Carcavelinhos em primeiras categorias

Em 1919, por várias dificuldades, o Carcavelinhos deixou de se inscrever em provas da Associação de Futebol de Lisboa, o que motivou nova dispersão dos jogadores. Contundo, em 1920, ano que marcou uma nova fase na vida do popular clube alcantarense, voltou a inscrever-se oficialmente, e, desta vez, com quatro categorias. Tocou a reunir e […]

Continuar a ler

V | As primeiras provas e os primeiros jogadores

No capítulo anterior referimos que o nome do Carcavelinhos fora sugestão de Carlos Canuto. Falemos então um pouco desta personagem histórica do futebol lisboeta e nacional. Em 1910, tinha Canuto 12 anos, começou a interessar-se pela bola trapeira. Os primeiros pontapés entusiasmaram-no. Ia para o largo da estação de Alcântara, que ainda hoje existe e […]

Continuar a ler